Desculpas insensatas

Levantei do sofá enquanto meus amigos riam e falavam que eu sou meio bruxa por causa do meu sexto sentido e porque eu entendo essa coisa toda de astrologia. Mas, para falar a verdade, nem sei se acredito nessa história de que os astros influenciam a vida da gente. Nunca parei para pensar muito bem, nem depois daquela matéria de capa da Superinteressante que revela tudo sobre a pseudociência dos corpos celestes.

Acendi meu cigarro na janela como um devoto que acende a vela de Santo Expedito. Pedi para ser mesmo uma bruxa, ou qualquer ser poderoso de verdade. Preciso de um encantamento que me deixe muda sempre que algo terrível comece a se materializar em fala, para que não saia da minha boca.

Se, antes, tivesse esse poder, nunca teria deixado escapar palavras completamente insensíveis às suas feridas e estaria tão leve que não precisaria de mágica ou asas para voar. Mas não deu, não teve magia, astrologia ou sensatez pra me segurar. E ainda não conheço um pedido de desculpas mágico que possa desfazer, desdizer, voltar no tempo.

Enquanto as pessoas cantavam por cima da música alta, mesmo já tendo passado das 22h, eu traguei a sensação de culpa e arrependimento que ainda rodopiam na minha cabeça.

Os astros podem até explicar que não somos compatíveis. Algum nó cego no meu mapa astral me fez não calar, não parar para pensar. Não lembro em que signo marte estava posicionado no dia do meu nascimento, mas provavelmente foi ele quem declarou uma guerra covarde contra o seu coração. Usou arma química e venceu.

Nós dois perdemos. Isso não tem matéria na Galileu que possa negar.

o horóscopo e as notas do perfume.

Antes de começar este texto, notei que em pleno dia 9 ainda não li todo o meu forecast de maio no astrologyzone.com (site da astróloga queridíssima, Susan Miller) – eu disse “todo” porque costumo lê-lo por partes, para conseguir apreender tudo que os astros revelam, e não é pouca coisa! De qualquer forma, já estou bem orientada pela fofíssima Maina Mello (eu me sinto amiga das minhas astrólogas preferidas).

Se você não acredita em horóscopo e nem que os astros podem influenciar a nossa a vida esfarelada aqui na terra, tudo bem, pode clicar aqui. Mas, se você acredita, vou te contar a história do perfume.


 

Outro dia eu estava tentando explicar para uma amiga o que significa ascendente, signo solar e a lua no mapa astral. Repentina e astutamente meu cérebro me levou a comparar o mapa astral de uma pessoa com um perfume e suas notas aromáticas (se alguém já fez isso eu juro que não sabia). Funcionou, ela entendeu e agora eu tenho que dividir essa metáfora maravilhosa com vocês.

  • Ascendente

É a nota de topo, a primeira impressão do perfume. O seu ascendente é a primeira impressão que você passa para as pessoas, mas que não necessariamente reflete a sua personalidade. É como a gente se mostra para o mundo quase que sem querer. Sabe quando alguém comenta, “nossa, achei que você era timida”? Isso geralmente é reflexo do seu ascendente. Uma aparência que às vezes engana.

  • Sol

Nota do coração, seu aroma é sentido após 30 minutos. Meia hora de conversa é suficiente para uma pessoa observadora captar os sinais do signo solar de alguém. Este tem a ver com a essência e as características mais marcantes. Quem tem uma amiga leonina sabe quem em meia horinha de conversa ela solta um “porque eu sou maravilhosa” ou algo parecido. A aquariana, por sua vez, acaba deixando escapar sua preocupação com um bem maior ou algo do tipo.

  • Lua

Nota de fundo, percebida depois de 2 horas. Essa é a Lua, ela representa os sentimentos, questões afetivas e emoções. Costuma aparecer um pouquinho mais tarde, com a intimidade. A lua faz toda a diferença no mapa. Eu sou aquariana com ascendente em leão e tenho lua em câncer – isto é, sou desapegada, prezo a liberdade, pareço mais confiante do que realmente sou e, apesar do desapego de aquário, tenho um coração super maternal.

Os signos são como as fragrâncias e cada pessoa é um perfume diferente, elaborado a partir de uma mistura única que começa no dia do nascimento, mas que acaba sendo influenciada todos os dias: pela vida, pelos astros, pelas pessoas.

Quer falar mais sobre isso? Então vem!

Não mente pra mim

A gente mente, né? Ô, se mente. E pior que a gente se engana pros dois lados: mais amor ou menos amor do que sentimos. Mas não estou culpando ninguém, é tanta coisa que essa vida esparrama por aí que verdades demais podem acabar desequilibrando a nossa flora emocional.

1

Às vezes, a saudade vem quando “ainda não era a hora” porque existe um tempo mínimo para ela bater sem que você pareça um canceriano desesperado, né? Não é de câncer? Então deve ser sua vênus, cer-te-za! E para não demonstrar, não assustar, não parecer bobo, finge que nada está acontecendo. Escreve e apaga a mensagem.

Demonstrar que gosta é demodê no universo do desapego-não-quero-namorar-amo-ser-sozinho e muita gente acaba escondendo o que o coração tem vontade. Esconde que tem coração. E, para se defender, mentaliza a indepedência dos signos de ar e a energia arisca do fogo. Não adianta, tá?

Lua em aquário, vênus em sagitário. É assim que pinta? Não se apega, não entende bem as emoções das pessoas e o amor é só uma coisa passageira? É mesmo? Jura?

Não adianta mentir para si mesmo, hein? E também não precisa se importar tanto com os astros. Sempre tem uma força cósmica que pode alterar a leitura do seu mapa astral. A melhor verdade é aquela que vem de dentro, da reflexão e de aceitar honestamente o que se quer, a sua vontade.

Admitir e aceitar acaba sendo o caminho mais curto para a felicidade. Claro que não tem garantia, mas a probabilidade aumenta. As pessoas que não querem o mesmo que você já desocupam a cadeira de quem quer estar por ali (e tem que deixar elas irem mesmo, sem dó).

Quando você mentalizar seus desejos com convicção, os astros vão contribuir. É sério. As energias fluem e conspiram a favor daquilo que queremos atrair. Mas, sem desespero, tá? Tem que ficar suave na nave. Ansiedade pesa.

Então, nada de pagar de fodão desapegado para depois fazer cafuné no próprio cabelo. Isso só confunde as forças do universo que poderiam muito bem estar sussurando várias palavras bonitas no seu ouvido. Quem sabe você não ganharia uma massagem no pé hoje à noite?